domingo, 19 de setembro de 2010

Dia da Escola Bíblica Domincal

Hoje é dia da Escola Dominical, por isso após refletir sobre a origem e objetivo da mesma, tivemos momentos de muita alegria na presença da Palavra de Deus.









Sala de Crianças e sala de Adolescentes.









Sala de Adultos. Pr. Welfany dirigindo uma dinâmica comparando a Escola Dominical com uma árvore.









Cada aluno representa uma folha desta árvore que para ficar bem viva e bonita precisa estar bem cheia de folhas. Assim não podemos deixar a árvore da Escola Dominical secar.









Homenagem aos professores da Escola Domincal Edivaldo, Ássima e Marcos e a superintendente Joana. E homenagem a duas alunas que não faltaram nenhum dia à EBD neste ano de 2010, Adriana e Hérica.







Após o estudo das classes, tivemos um saboroso café da manhã com gosto de comunhão.

Abaixo transcrevo um texto enviado pelo Rev. José Pontes Sobrinho - Secretário Executivo do PRAM – 4ªRE e Rev. Delmir Matos de Oliveira - SERES-4ªRE.


História da Escola Dominical


Neste domingo celebramos o Dia da Escola Dominical, a maior escola do mundo. São 241 anos ensinando a palavra de Deus e restaurando vidas para Sua Glória.
João Wesley, o fundador do movimento metodista, quando estava em sua missão em Savannah - Geórgia, na América, em 1737 começou um trabalho de ensino bíblico para crianças. Wesley dizia; “Deus começa a sua obra com as crianças.” A frase de Wesley é resultado de quem aprendeu a ler na própria Bíblia pelas mãos de sua mãe Susana Wesley. Em sua vida ele nunca deixou de se preocupar com os corações e as mentes das crianças. Ao Movimento Metodista e a João Wesley o cristianismo deve hoje o interesse e a educação para as crianças.
A história registra que a Escola Dominical teve seu início por Hannah Ball Moore em sua residência e depois acolhida pela Igreja Anglicana - High Wycombe. Ela aceitou a Cristo através de um sermão de João Wesley. No ano de 1769, Hannah Ball, uma jovem de 26 anos de idade, criou a primeira Escola Dominical.

Entretanto, onze anos mais tarde, em 1780, foi em Gloucester, que um jornalista da Igreja Episcopal, Robert Raikes, criou a primeira Escola Dominical para crianças pobres que viviam num quadro de abandono nas ruas. As crianças só podiam estudar aos domingos, pois durante a semana eram submetidas a uma carga de trabalho de 12h00 diárias. Seu objetivo era declinar o alto índice de criminalidade. Aos domingos, então, agrupando crianças e adolescentes na rua, das 10h00 às 12h00, estudavam matemática, história e a língua pátria, o inglês. Das 13h00 às 17h00 eram levados para igreja para estudar a Bíblia, conduta moral e ética. Por isso, ele é conhecido como pai da ESCOLA DOMINICAL, o precursor da ESCOLA PÚBLICA BRITÂNICA. Na época foi uma quebra de paradigma na educação e ele foi chamado de “profanador do domingo”, “mestre dos mal trapilhos”, “pai e tutor dos vagabundos malcriados.” Mas a imprensa da época comentava favoravelmente esta iniciativa inédita de Raikes.

Não há dúvida que o humilde começo da Escola Dominical com Hannah Ball Moore, há 241 anos, tem produzido frutos. Wesley desde os primórdios estava convencido do valor da Escola Dominical: - “Estou convencido de que essas Escolas Dominicais são a instituição mais nobre, vista desde alguns séculos na Europa, e crescerão cada vez mais, contando que os seus professores e dirigentes cumpram seus deveres”.
Hoje 241 anos depois, a ESCOLA DOMINICAL está presente em todo o mundo como a maior AGÊNCIA DE EDUCAÇÃO E ENSINO. É uma instituição que incentiva o cristão a se preparar para a missão. Temos razão em acreditar na ESCOLA DOMINICAL, visto que, ela é compromissada com a família, Célula Mater de uma sociedade. Ela envolve as pessoas criando a oportunidade para o serviço, relacionamento, aprendizado da Bíblia Sagrada e possibilita a experiência de interagir e liderar pequenos grupos. É uma escola de formação e preparo para a vida em todos os sentidos.
Celebremos com júbilo o DIA DA ESCOLA DOMINICAL, uma escola de formação de discipulado levando nossos membros ao crescimento e à maturidade cristã.